Víbora-cornuda

Vipera latastei

Pode atingir 70 cm de comprimento total. A cabeça é bem definida e com um contorno triangular. É reconhecida pelo seu característico focinho elevado e a sua pupila elíptica e vertical. A sua coloração é muito variável (cinza, castanha, laranja, etc.) com um padrão dorsal, em forma de zig-zag. É um animal muito calmo, que quando incomodado evita o confronto e raramente morde, tal como o resto das cobras. Com alguma sorte é possível encontrar este belo animal no campo, com total tranquilidade, a uma distância segura e sem manipulação. No entanto, é necessária alguma cautela pois trata-se de um animal venenoso. A sua potencial perigosidade constitui por vezes, lamentavelmente, motivo suficiente para o seu extermínio. Contudo tem um papel importante no controlo populacional de pequenos roedores.

Distribui-se pela Península Ibérica e Norte de África. Em Portugal ocorre um pouco por todo o território, contudo, em núcleos populacionais fragmentados.

Habitat: Zonas rochosas de montanha, com cobertura arbustiva, preferindo as vertentes mais expostas viradas a sul. Em zonas mais baixas, prefere os matagais, zonas agrícolas e pinhais arenosos do litoral.

Alimentação:À base de micromamíferos, podendo capturar por vezes, lagartixas, juvenis de sardão e de lagarto-de-água. Incluem-se também na sua dieta presas como os passeriformes, pequenos anfíbios e até mesmo insetos.

Predadores: Aves de rapina, mamíferos como o saca-rabos, o javali e a geneta. Pode também ser predada por cobras de maior tamanho como a cobra-rateira.

Estatuto de conservação: vulnerável