Aranha-tigre

Argiope bruennichi

A aranha-tigre é uma das mais belas aranhas que habita em território nacional. As suas fêmeas são capazes de construir teias grandes e muito características, com umas marcas em zig-zag mais claras e grossas no centro. Como em todas as aranhas, o macho e a fêmea apresentam dimorfismo sexual. As fêmeas, de maiores dimensões, apresentam tons prateados e listas amarelas alternadas com preto e castanho. Por sua vez, o macho é de menores dimensões e de coloração acastanhada. Durante a época de reprodução o macho tem que ser cauteloso para não ser comido, uma vez que a fêmea tem tendência para o canibalismo. Quando as presas caem na teia, a aranha tigre imobiliza-as rapidamente e envolve-as em fios de seda, injetando-as com veneno. O seu saco de ovos é um dos maiores existente em Portugal. Apesar do aspeto inconfundível das aranhas fêmeas, que se assemelham a vespas, estas aranhas são praticamente inofensivas para o Homem e, como todo o grupo das aranhas, são um elo fundamental nos processos do ecossistema.

Habitat: zonas com arbustos e árvores, em matas e jardins. Por vezes, em zonas mais abertas, mas sempre associada a vegetação alta.

Alimentação: insetos voadores como dípteros (moscas, mosquitos, entre outros), himenópteros (abelhas, vespas) e lepidópteros (borboletas). Ao ingerir a teia, consome outros pequenos animais que ficam colados durante o dia.

Predadores: outras aranhas, louva-a-deus, anfíbios.

Estatuto de conservação: desconhecido.