Gaio

Garrulus glandarius

O Gaio é um corvídeo de porte médio, considerado um especialista em imitar sons e cantos de muitas outras aves florestais. A sua plumagem é maioritariamente castanho-rosado (peito e barriga), com uma coroa listada de cinzento e branco, bigode e cauda preta e uropígio branco. A cor azul e preta das suas asas são a característica mais fácil para a identificação desta espécies, pois contrasta com as cores quentes do corpo. O Gaio é uma espécie residente que pode ser observada durante todo ano, porem como é uma ave florestal ela é tímida sendo mais frequente ouvi-la do que observá-la. No Outono, quando amadurecem as bolotas, os gaios aproveitam a abundância de alimento para fazer provisões para o inverno e escondem-nas debaixo de folhas e vegetação rasteira. Muitas delas ficam esquecidas nos seus esconderijos e acabam por germinar o que torna os gaios num dos mais importantes “semeadores” de carvalhos e de outras plantas do género Quercus.

Habitat: tipicamente florestal e que ocorre em todo o tipo de habitats florestais: carvalhais, pinhais, montados, florestas de coníferas e florestas mistas de folhosas e resinosas. Parece preferir matas de densidade média e com sub-bosque.

Alimentação: omnívoro, alimentando-se de invertebrados, principalmente escaravelhos e larvas de borboletas, de frutos e de sementes, preferindo as bolotas.

Predadores: aves de rapina e mamíferos de médio porte

Estatuto de conservação: não preocupante.